O Wing Chun (Ving Tsun ou Wing Tsun) são os vários nomes dados a um sistema de luta surgido no sul da China que se distingue pela economia de movimentos e utilização da estrutura óssea. O Wing Chun é considerado por muitos, um estilo de grande eficácia.

     É atualmente, um dos sistemas de luta mais populares em todo o mundo. A arte baseia-se na leitura da inteligência da "Garça" com a "Serpente", e na base do "Carneiro". Embora muitos mestres oficiais do Wing Chun espalhados por todo o mundo trabalhem para o crescimento deste estilo, sua grande popularidade no ocidente, veio a
Wing Chun
partir de seu praticante mais famoso, Bruce Lee (discípulo de Yip Man) que praticou o sistema e o valorizou como um de seus principais pilares no mundo das artes marciais
     Wing Chun é um sistema de defesa pessoal realista, criado na China por uma mulher (monja shaolin). Simples e eficiente, descarta todo movimento acrobático. É uma arte marcial singular, desenvolvida para permitir que qualquer tipo de pessoa, independentemente de tamanho, força ou sexo, possa se defender de agressores maiores e mais fortes.
Neste Sistema trabalha-se com todas as possibilidades: mais de um atacante, ataques de qualquer direção, de pé, sentado ou já no chão, etc...

     Mais antigo que o Karatê e o Tae Kwon Do (só para citar duas excelentes e muito diferentes artes marciais), suas origens vêm do mosteiro Shaolin (Siu Lan), onde a mestra de artes marciais, Monja Ng Mui, possuía habilidade técnica superior aos combatentes do seu tempo. Partindo do conhecimento dos estilos tradicionais, e segundo a lenda, pela leitura da luta entre uma serpente e uma garça, ela criou um novo e eficaz sistema de combate, que não só retificava as debilidades dos sistemas convencionais, como também tirava proveito delas. Tornou-se sistema de luta com o passar das gerações, onde outros mestres da arte incluíram novas técnicas, como por exemplo, a introdução do bastão longo, na época dos "Juncos Vermelhos" (Embarcações da Opera Chinesa).
A principal diferença entre os estilos praticados atualmente está em seu conceito de defesa. Enquanto em outras artes marciais procura-se acima de tudo bloquear o ataque do agressor para depois contra-atacar, ou mesmo desviar este ataque para depois contra-atacar, o princípio básico do Wing Chun é o de utilizar esta força contra o próprio agressor, onde a defesa já funciona como ataque e vice-versa.
A História
     Wing Chun é um sistema de defesa pessoal realista, criado na China por uma mulher (monja shaolin). Simples e eficiente, descarta todo movimento acrobático. É uma arte marcial singular, desenvolvida para permitir que qualquer tipo de pessoa, independentemente de tamanho, força ou sexo, possa se defender de agressores maiores e mais fortes.
Neste Sistema trabalha-se com todas as possibilidades: mais de um atacante, ataques de qualquer direção, de pé, sentado ou já no chão, etc...

     Mais antigo que o Karatê e o Tae Kwon Do (só para citar duas excelentes e muito diferentes artes marciais), suas origens vêm do mosteiro Shaolin (Siu Lan), onde a mestra de artes marciais, Monja Ng Mui, possuía habilidade técnica superior aos combatentes do seu tempo. Partindo do conhecimento dos estilos tradicionais, e segundo a lenda, pela leitura da luta entre uma serpente e uma garça, ela criou um novo e eficaz sistema de combate, que não só retificava as debilidades dos sistemas convencionais, como também tirava proveito delas. Tornou-se sistema de luta com o passar das gerações, onde outros mestres da arte incluíram novas técnicas, como por exemplo, a introdução do bastão longo, na época dos "Juncos Vermelhos" (Embarcações da Opera Chinesa).

     A principal diferença entre os estilos praticados atualmente está em seu conceito de defesa. Enquanto em outras artes marciais procura-se acima de tudo bloquear o ataque do agressor para depois contra-atacar, ou mesmo desviar este ataque para depois contra-atacar, o princípio básico do Wing Chun é o de utilizar esta força contra o próprio agressor, onde a defesa já funciona como ataque e vice-versa.
Do Templo à Yim Wing Chun na Linhagem Leung Ting:
     É dito que o Monastério Shaolin (Siu Lam, no dialeto cantonês) dispunha de 36 câmaras ou templos, sendo a Vein Tsun Tong, a câmara liderada pela Monja budista N´g Mui perita no sistema "Weng Chun Bak Hok Pai" conhecido por estilo Weng Chun da Garça Branca da província de Fujian.
Devido a problemas políticos e por suspeitas de conspiração e atividades rebeldes, o governo Qing ateou fogo no Templo Shaolin e declarou a Monja N'g Mui, junto com outros mestres de Shaolin fora da lei, fugindo então de Fujian, eles se dispersaram por diferentes partes do sul da China.
N'g Mui se dirigiu ao distrito que fica na fronteira entre as províncias de Yunan e Szechuan, e se estabeleceu no "Bak Hok Koon"¨ ou Templo da Garça Branca na montanha Tai Leung. Ao chegar a essa região deparou-se com algumas técnicas inovadoras, levando-a a reformular o que ela já sabia, criando um novo sistema.

     Lá a monja aceitou somente uns poucos alunos, entre eles, Yim Wing Chun (Yim Ving Tsun), uma linda garota, filha de um comerciante local, muito assediada por alguns locais e por um rufião. A monja teria ensinado sua técnica e conhecimentos à garota, mediante exaustivos treinos.
     Wing Chun, adulta, se casa com um vendedor chamado Leung Bok Chau (Leung Bok Toa), comerciante de sal de Guangdong, por um acordo firmado pelos pais de ambos. A discípula então ensina ao marido a técnica, e este o aperfeiçoa.
    
     Em 1973, para distinguir o seu método de ensino, Leung Ting adotou uma forma exclusiva: "WingTsun" (escrito com uma só palavra, e cuja sigla é WT) e criou a sua própria organização, que hoje é denominada International WingTsun Organization (IWTO).
Hoje, a IWTA é a maior organização profissional de arte marcial no mundo, com representantes em mais de 63 países (aproximadamente 4.000 escolas). Sua sede é em Hong Kong, na movimentada avenida Nathan Road (na academia original onde o Patriarca Yip Man ensinava), e lá o GGM Leung Ting ainda ministra as suas aulas.
Após mais de 25 anos ensinando e pesquisando, a compreensão de Wing Tsun do GGM Leung Ting difere grandemente das teorias dos primeiros estudantes de Yip Man.
Leung Ting foi o primeiro a refinar o método tradicional de ensino do Wing Chun em um completo sistema de combate adequado ao mundo moderno, e que nos dias atuais é conhecido em todo o mundo por WingTsun (WT)

Do Templo à Yim Wing Chun na Linhagem Duncan Leung:
     O templo de Shao-Lin da província de Henan era um lugar onde muitos revolucionários de partidos esquerdistas procuravam exílio, numa época onde o templo era muito respeitado. Entretanto, não era do interesse do Governo Manchu que esses rebeldes permanecessem vivos, e devido aos monges constantemente aceitarem peregrinos, tornou-se de fácil acesso para certo espião que, disfarçado, envenenou toda a água e ateou fogo nas dependências do templo, abrindo as portas e permitindo a entrada dos soldados Manchus.

     Após a destruição de Shao Lin pela invasão do exército Manchu, Ng Mui, decidida a continuar na vida religiosa, ingressou no templo da garça branca onde, ali próximo, conheceu o velho Yim Yee. Segundo a história, Yim Yee tinha uma filha chamada Yim Wing Chun, que conforme os costumes chineses da época, tinha sido prometida em casamento, para um negociante da província de Fukin Neste lugar, havia homem chamado Wong que provavelmente pertencia a hierarquia governamental da região, e que era famoso tanto por sua habilidade em lutar quanto por seu mau procedimento. Atraído pela beleza de Yim Wing Chun, Wong queria-a como uma de suas concubinas, dizendo que, ou ela se casava com ele, ou ele a tomaria à força em uma determinada data. Yim Yee estava velho e já não tinha mais condições físicas de enfrentar o valentão em um duelo, o que era muito comum nesta época para resolver diversos assuntos. Todos os dias, ele e a filha se preocupavam com a data que se aproximava sem saberem o que fazer.

     Enquanto isso, a monja Ng Mui que estava hospedada no templo da garça branca, costumava descer à vila, no sopé da montanha para fazer pequenas compras. Certo dia, conversando com Yim Yee, ficou sabendo do que se passava, e se propôs a ajudar. Yim Wing Chun passou a estudar sob a tutela de Ng Mui, e como conseqüência de seu aprendizado, ela mesma resolveu duelar contra Wong, conseguindo derrotá-lo em um combate onde à questão disputada era sua própria liberdade. Mais tarde, casou-se com o noivo que lhe tinha sido reservado, de nome Leun Bok Tao, o qual já possuía conhecimento de artes marciais antes de desposá-la. Depois do casamento, Yim o via praticar seus exercícios e fazia-lhe sugestões a respeito de certas técnicas. A princípio, prestou pouca atenção a essas sugestões, pois se considerava um bom lutador. Mas o tempo foi passando e começou a notar certas pertinências em suas observações. Também não se esquecia do fato que havia derrotado um homem no passado. Resolveu então, desenvolver as técnicas de sua esposa, a qual passou a chamar de Wing Chun Kuen (Punhos de Wing Chun).
De Leung Bok Toa a Yip Man nas Linhagens de Yip Man:
     De Leung Bok Toa (Leung Bok Chau), o sistema é passado à Leung Lan Kwai, médico herbário e osteopata. Até esta época, a Arte ainda não havia sido nomeada, todavia, ao ensiná-la, "Bok" dá o nome de sua amada esposa ao novo sistema: "Wing Chun Kuen", em português, "Punhos de Wing Chun" (em homenagem a ela). O nome próprio de Wing Chun pode ser traduzido como: "Eterna Primavera" ou "cantar em louvor à chegada da primavera".
Leung Lan Kwai sucessivamente ensina-o para Wong Wah Bo e Leung Yee Tei. Esse foi o periodo conhecido como dos Juncos Vermelhos, que constituia numa apresentação itinerante, onde esses mestres se apresentavam, a estes foi atribuida também uma atividade revolucionaria contra o governo Manchu.

     O sucessor destes foi Leung Jan (considerado Rei do Wing Chun), que modificou algumas técnicas e passou para Chan Wah Sun e também para seus próprios filhos, iniciando a fase Fat Shan (cidade onde estes mestres residiam).
De Chan Wah Sun e Leung Bik (filho de Leung Jan),o estilo é ensinado a Yip Man que o difunde em Hong Kong, e, através de Bruce Lee é difundido em escala mundial.
Como o Wing Chun Chegou ao Ocidente
     O Wing Chun foi Transmitido em secreto em algumas linhagens, e em âmbito familiar na de Yip Man, até a década de 40, quando este teve que se mudar para Hong Kong. Alguns de seus primeiros alunos foram Wong Shun Leung, Tsui Sheung Tin, Hawkins Cheung, Ho Kam Ming, Bruce Lee, Duncan Leung e Leung Sheung. Bruce Lee (que treinou de 1954 a 1958) ao chegar nos Estados Unidos, provavelmente foi a primeira pessoa a fazer a transliteração fonética do chinês para o inglês: "Wing Chun". Entretanto, alguns estudantes do Patriarca Yip Man em Hong Kong, não gostaram da associação da sigla W.C. (banheiro) com o sistema, e assim o transcreveram em "Ving Tsun". No final da década de 60, por motivos de saúde, o Patriarca Yip Man decidiu não mais ensinar, entregando sua escola aos cuidados de seus estudantes mais antigos. Na tradição chinesa é dito que ele "Fechou as portas!".
Por intermédio de Leung Ting:
     O Patriarca Yip Man não poderia imaginar que o adolescente, que um dia encontrou parado nos degraus de sua porta, pudesse ter tanto interesse por sua pessoa e pelas técnicas do Wing Tsun.
Leung Ting que já havia passado quase oito anos sob a orientação de Leung Sheung (primeiro estudante de Yip Man em Hong Kong) foi aceito pelo patriarca como discípulo “a postas fechadas” (estudante particular) e aprendeu as técnicas mais avançadas do Wing Tsun. O Grande Mestre instruiu Leung Ting de uma maneira muito peculiar. Em vez de corrigí-lo, começando com a primeira forma, iniciou suas lições com a mais avançada das técnicas de mão vazia, isto é, com a técnica do boneco de madeira.
Com a idade de 19 anos, Leung Ting, estudante da Universidade Batista de Hong Kong, formou nesta universidade sua primeira turma de Wing Tsun. Em apenas seis meses ele tinha mais de 120 alunos.
     Um verdadeiro recorde naqueles tempos, visto que por causa dos tradicionais métodos de ensino seguidos na época, nenhum outro instrutor de Wing Tsun contava com um número tão grande de alunos. Sendo responsável por tantos alunos, Leung Ting viu-se obrigado a desenvolver um sistema de ensino mais moderno e que pudesse satisfazer as necessidades de cada praticante em especial. Criou um programa sistemático de aulas, que garantia ao aluno poder continuar e aprender todas as técnicas, sem faltar sequer uma. Esse foi o início do método que se tornaria muito conhecido no mundo.
     Em 1972, no ano de falecimento do Patriarca Yip Man, e na época que Bruce Lee se tornava o astro de cinema mais famoso no sudeste da Ásia, Leung Ting começava o seu trabalho de desenvolvimento, atualização e modernização da arte do Wing Tsun.
Por Intermédio de Wong Wai Chung (Greco Wong):
     No final da década de 1950, Greco Wong, residindo em Hong Kong, e já tendo experiência em kung fu e esgrima iniciou seu aprendizado em wing chun com Tsui Sheung Tin, posteriormente com Mak Po e depois com Moy Yat, todos estes treinavam diretamente com o grande mestre Yip Man. Através de Moy Yat, Greco Wong fora apresentado a Yip Man, com o qual teve aulas particulares na casa do grande mestre por bom tempo. Greco Wong tem como seu aluno de primeira geração, Thomas (Lo Siu Chung), aluno da época em que ensinava na faculdade em Hong Kong, inicialmente a um grupo de 5 alunos. Em 1969 Greco Wong lança a primeira publicação sobre wing chun para o ocidente; wing chun kung fu, methods of self defense; junto a R. Clausnitzer. Greco Wong residiu na Àfrica do Sul, Inglaterra, Hong Kong, e atualmente Canadá. Divulgou ensinando nos países por que passou, além de seus discípulos se estabelecerem em outros países como Taiwan, Brasil.
     Greco Wong se mantém como um mestre o qual ensina mas é muito rigoroso em relação a disciplina, a técnica e sua aplicação real, a relação tradicional entre mestre e aluno. A maneira de se ensinar, de Greco Wong sempre se manteve de maneira reservada.
Por Intermédio de Duncan Leung:
     Apresentado a Yip Man por Bruce Lee, Duncan (Leung Siu Hung) passou a treinar pagando US$ 08,00 por mês, e depois U$ 12,00, convicto de que toda vez que brigasse na rua sairia vencedor, o que aparentemente acontecia, pois desferia vários socos no rosto de seu oponente, o qual sangrava muito, entretanto, quando chegava em casa tinha que passar pomada nas costelas pois também tinha sido muito golpeado.
     Observando as técnicas dos alunos mais antigos, foi a Yip Man e disse: "Isto é tudo que aprenderei?" - Pois Duncan já não estava mais tão impressionado. "O que mais você esperava pagando apenas US$ 12,00?" - Respondeu Yip Man. "Você tem US$ 300,00?" - Concluiu.
     A partir de então, Duncan passou a ter aulas individuais em sua casa pelo período de quatro anos e meio com o idoso Mestre Yip Man, até ter que viajar à Austrália para cursar o ensino superior. Em 1970 mudou-se para os EUA onde reside até hoje.

     Em 1970 começou a dar aulas a policiais americanos, em New York. Nos anos 80 passou a treinar o "Seal Team" - grupo especial da Marinha norte-americana. A seguir, ministrou aulas para a SWAT e o FBI em Virginia Beach.

    
De 1997 a 1999, produziu cinco fitas de vídeo, onde apresenta alguns dos níveis de treinamento do Sistema Wing Chun.
Em 2002, fundou sua organização, Applied Wing Chun, com o propósito de unificar seus seguidores ao redor do mundo, e diferenciar seu sua linhagem das demais.
Ainda em 2002, foi convidado pelo governo Chinês para transmitir seus conhecimentos, a fim de preservar o Autentico Wing Chun de Yip Man. Tornou-se assim, o único mestre a ser subsidiado e autorizado pelo governo Chinês a ministrar Autêntico Wing Chun.
Em 2005, lançou no idioma Inglês, um livro contando histórias sobre sua vida, fatos sobre o Wing Chun e seu Mestre Yip Man, bem como sua relação com Bruce Lee.
Wing Chun no Brasil
     LI HON KI é mestre 8ª geração do Wing Chun Kuen, tendo iniciado seus treinamentos na escola de Sifu Yip Man, em 1968. Chegou ao Brasil em 1979, tornando-se uma das mais importantes lideranças do Kung Fu nacional, onde passa a divulgar seus conhecimentos de Wing Chun adquiridos em Hong Kong para o público brasileiro. Por essa época ele havia treinado com Ho Kam Ming, Ng Chang, Koo Sang, e Ng Ken Po, sendo o primeiro representante na América do Sul da Hong Kong Ving Tsun Athletic Association.
      Cláudio Ramires Vasques, Newton Filizola, Luis Novaes Bonfá e Leo Imamura, foram alguns de seus alunos que participaram deste primeiro período do Wing Chun no Brasil.
Na década de 80, suas escolas foram por diversas vezes reconhecidas como as mais preparadas na divulgação do Kung Fu para combate, sagrando-se campeã por diversas vezes, fato que tornou Mestre Li Hon Ki diretor técnico de competições internacionais, orientando inclusive o Professor Marcelo Giudici, um dos grandes nomes internacionais da atualidade nos torneios de MMA (Vale tudo). Mestre Marcelo Giudici foi consagrado duas vezes campeão de combate em Kung Fu em território chinês na década de 80.

     No início dos anos 90, acompanhando seu irmão Albert em uma viagem a Virgínia Beach, Li Hon Ki teria o primeiro contato com aquele que mudaria todo seu conceito sobre artes marciais, principalmente o Sistema Wing Chun - Mestre Duncan Leung.
Durante dois anos, Li Hon Ki dedicou mais de dez horas por dia ao estudo do Sistema Wing Chun sob a tutela de Duncan Leung, inclusive, o auxiliando em sua escola como instrutor assistente. Residiu neste período, na própria casa do mestre, em Virgínia Beach, EUA.
No dia seguinte a seu retorno dos EUA, Mestre Li Hon Ki passa a ministrar os ensinamentos desta nova linhagem. Logo após, ainda na década de 90 vieram, Newton Filizola (também dos anos 80), Cláudio Rangel, Ednor Freire, Alberto França e Márcio Silva. Já no novo século vieram, Paulo Junior e Renata Ballestrini.
     Fundadora: Yim Ving Tsun; 1a. Geração: Leung Bok Toa; 2a. Geração: Wong Wah Po; 3a. Geração: Leung Lan Kwai e Leung Yee Tai; 4a. Geração: Leung Jan; 5a. Geração: Chan Wah Shun; 6a. Geração: Yip Man; 7a. Geração: Duncan Leung; 8a. Geração: Li Hon Ki; 9a. Geração: Marcelo Florentino, Nilton Filizola, Cláudio Rangel, Ednor Freire, Alberto França, Márcio Silva, Paulo Junior e Renata Ballestrini.
Mestre Li Hon Ki (Direita) e Prof. Frank
Thomas Lo Siu Chung
     Thomas Lo Siu Chung nasceu em Hong Kong - China em 1943. Foi discípulo direto do Mestre Greco Wong. Imigrou para o Brasil em 1969 e em 1972 introduziria o estilo de wing chun kuen na cidade de Serra Negra, no estado de São Paulo. Posteriormente se estabeleceu em São Paulo, onde montaria academia na rua Augusta em 1976 e nesta época iniciou o aprendizado de Jose Clovis Lemes, Jose Adami, Francisco Dias e outros. O ensino de Jose Clovis Lemes e Jose Adami foi feito inicialmente de forma particular no apartamento do Mestre Lo e sua esposa Tami. Clovis Lemes apresentou Mestre Lo ao Corpo Consular Britânico, onde o Mestre passou a trabalhar com ele e Jose Adami por muitos anos. Francisco (Chico) Dias se tornou o praticante mais assíduo dessa fase em diante.

     Em 1987 Mestre Thomas Lo volta a ensinar publicamente na Associação Paulista de Tai Chi Chuan, no bairro de Pinheiros, São Paulo; naquele ano de 87, recém-chegado do Rio de Janeiro (Sociedade Budista do Brasil), Erasmo Deterra, natural da Bahia , torna-se seu aluno - em 1996, a convite do sifu Lo Siu Chung passa a integrar a Família Lo de Wing Chun Kung Fu. Erasmo Deterra mantém em sua cidade Xiquexique-BA a Escola Tradicional de Arte Marcial Chinesa). Em 1996 Thomas Pinheiro torna-se seu discípulo, mantendo treinamento tradicional, com aprendizado direto com mestre Lo até os dias de hoje.
Mestre Thomas (Lo Siu Chung) é reconhecido como um dos poucos mestres respeitáveis que ensina Wing Chun tradicional, sem praticamente variações, no Brasil e no Mundo. Mestre Lo se aposentou do Consulado e atualmente (2008) mantem um centro de terapia chinesa e academia (Si Yuen Ton) no bairro de Pinheiros, em São Paulo.
Hans Remmel e Andreas Geller
     Com o crescimento da EWTO, vários instrutores formados foram enviados para diversos países com o objetivo de expandir a organização. Em 1995 os mestres Hans Remmel e Andreas Geller, que são alunos diretos dos Grão-Mestres Kernspecht e Bill Newman (responsável pela Escrima), foram nomeados instrutores-chefes do Brasil e em 2001 do Uruguai.
Leo Imamura
     Leo Imamura, após treinar com Li Hon Ki, se tornou discípulo de Grão Mestre Moy Yat (já falecido) na década de 80, constituiu uma das maiores famílias de Wing Chun da América do Sul. Sua árvore genealógica segue abaixo:

1a. Geração: Yim Ving Tsun; 2a. Geração: Leung Bok Toa; 3a. Geração: Wong Wah Po; 4a. Geração: Leung Lan Kwai; 5a. Geração: Leung Yee Tai; 6a. Geração: Leung Jan; 7a. Geração: Chan Wah Shuen; 8a. Geração: Ip Man; 9a. Geração: Moy Yat; 10a. Geração: Moy Yat Sang (Leo Imamura). 11a. Geração: Moy Ah Mei Da (Renato Almeida), Moy On Da Sang (Anderson Maia), Moy Na Tan (Nataniel Rosa), Moy Jo Lei Ou (Julio Camacho), Moy Go Jae (Leandro Godoy), Moy Gam Si (Fabio Gomes).
Moy Ka Wing Chun Kung Fu Society
     Antes de Moy Yat tranferir-se para NY, Mestre Lee Tat Yan erradicou-se no Brasil e trouxe consigo um pouco da Arte do Wing Chun Kuen aprendida com seu Sifu, Lee Sing.

     Sete anos após (1979), Geraldo Monnerat recebeu seu primeiro legado no Sistema Wing Chun de Sin San Lee Tat Yan onde em 1993 completou a trilogia do nível superior do Sistema Wing Chun concluindo todos os níveis, e recebeu o nome chinês de Lee Mo Ne.
Em 1996 falece, aos 47 anos, de doença desconhecida, Sifu (Lee Tat Yan) , o que levou em 1997 a ser aceito como discípulo de Segunda Geração de Grão-mestre Moy Yat (Choi Chin Dai Gee) e Primeira Geração de Mestre Moy Yat Sang(Yat Chin Dai Gee de Leo Imamura).
Em 1998 afirmou sua condição de Discípulo Vitalício na Cerimônia de Discipulado denominada de "Pai si seq" ocorrida na Celebração do 10o Aniversário da Família Moy Yat Sang, onde recebeu de Grão Mestre Moy Yat e Sra. Helen Moy o nome chinês Moy Ka Lai To
Em 2001 Ingressou no Livro Genealógico da “Hong Kong Ving Tsun Athletic Association” - HK - China.
Em 2002 teve seu nome incluído no Ip Man Tong - China (Museu do Patriarca Ip Man) como colaborador.
Em 2003 ingressou pela segunda vez, agora com Moy Yat Sang Sifu, no aprendizado das Facas de Oito Cortes (Baat Jarm Dao)
Em 2006 Funda a MOY KA WING CHUN KUNG FU SOCIETY
Marco Natali
     No início dos anos 80 foi fundada na cidade de São Paulo a União Nacional de Kung Fu (UniKung Fu). Foi a primeira academia no Brasil a ministrar sistematicamente o estilo Wing Chun Kuen tradicional.

     A academia ficava localizada à Av. Domingos de Moraes, zona sul da capital paulista e oferecia, além do Wing Chun, também o estilo Shaolin. No final da mesma década Mestre Marco Natali se aposenta, passando a direção da escola à Sifu D'Urbano (Francisco José D´Urbano - um de seus primeiros discípulos). Atualmente a UNKF localiza-se na cidade de Jundiaí, no interior Paulista. Pela escola treinaram grandes personalidades do Wing Chun nacional como: Francisco D'urbano, Alexandre Reis, Thomas Pinheiro, Leo Imamura, Aylton Rocha,Rubens Pinheiro, Renato Hirata, Marcelo Florentino, Gustavo Pinheiro, Fernando Hartung, Silvano Barros, entre outros.
Rubens Pinheiro
     Praticante desde 1980 em 1987 abriu sua primeira escola de kung fu. Em 1995 fundou o Instituto Pinheiro de Kung Fu e ministra Wing Chun Independente nas cidades do ABC paulista.
Características do Wing Chun
     O Wing Chun é uma das poucas artes marciais que prepara o praticante para o combate tota, ou seja, contra todo tipo de ataque (chutes, socos, cotolevaldas, joelhadas, agarramentos, derrubadas, torções, luta no chão, defesa contra vários agressores e armas). Isso significa que há treinamento nas 5 distâncias de combate.
Simplicidade: é um sistema simples e direto. São descartados os malabarismos, floreios, as posições complicadas ou técnicas exuberantes. Por não ser baseado em força física permite que uma pessoa fisicamente mais fraca possa se defender de um agressor maior.
Economia de movimentos: A melhor defesa pessoal é aquela que pode repelir o maior número de ataques com a menor quantidade de movimentos! WT foi concebido de tal modo que se pode administrar um combate com poucos movimentos.
Movimentos simultâneos: Diferente de outros sistemas que usam o método de defesa e depois contra-ataque, nós executamos defesa e contra-ataque juntos, dificultado uma resposta do agressor.
Treino de reflexos: Os movimentos de defesa do WT derivam principalmente dos reflexos táteis. Dessa forma, WT é menos suscetível às "fintas", pois a reação não depende exclusivamente da visão. Aprendemos a sentir quando o agressor faz uso de força pegamos emprestada essa força e a devolvemos na forma de ataque.

Quatro Princípios: Um dos principais objetivos do WT é fazer com que o praticante possa reagir de forma automática baseado nos quatro princípios:
1º - se o caminho está livre, SIGA EM FRENTE;
2º - se o caminho está ocupado, MANTENHA-SE COLADO;
3º - se o adversário faz força, DEIXE-O PASSAR;
4º - se o adversário retrocede, SIGA-O MANTENDO-SE COLADO.

Quatro Usos da Força:
1º - liberte-se da sua própria força;
2º - liberte-se da força do oponente;
3º - use a força do oponente contra ele;
4º - some a sua força à força do oponente.
Aprendizado e Treinamento
     A primeira base aprendida é denominada Yi Ji Kim Yeung Ma, adaptada ao treinamento de socos, defesa e base de combate. A postura Yi Ji Kim Yeung Ma é utilizada, entre outras coisas, para se fortalecer a base, buscando o apoio do centro de gravidade aumentado o equilíbrio e a consciência corporal.
O Siu Lim Tao (pequena idéia) é o nome da primeira das formas do Wing Chun, este mostra explicitamente o método suavidade/firmeza nos socos e defesas com os braços. Esta forma é fundamental, pois torna possível vislumbrar todo o trabalho relacionado à pratica do Wing Chun.
O método de treinamento pode ser divido em 4 partes:

FORMAS
"Formas" são seqüências ordenadas de movimentos que servem para dar coordenação corporal. Assim como no ensino fundamental (primário) precisa-se aprender exercícios motores com a mão (serra-serra, ondinha, bolinha, etc) antes de iniciar o trabalho da escrita, no Wing Chun você precisa aprender exercícios motores com o corpo antes de iniciar o trabalho das técnicas de luta.
Formas de mãos: 1) Siu Lim Tao "pequena idéia". 2) Chum Kiu - "ponte que desaba". 3) Biu Jee "dedos penetrantes" 4) Muk Yan Jong "Homem de Madeira
Formas de armas: 1) Look-Dim-Poon-Kwun "Bastão dos Seis Pontos e Meio". 2) Baat Chum Doa "Facões Borboleta (Espadas Gêmeas)".

CHI SAO (mãos que aderem)
É a única arte marcial que possui um exercício onde os reflexos táteis são tão amplamente treinados. Através do Chi-Sau desenvolve-se a capacidade dos nossos braços se adaptarem aos movimentos dos braços do agressor. Os reflexos de defesa do Chi-Sau são determinados de um modo imediato e mecânico pelo ataque do oponente. Assim, eles sempre se adequam à situação. Os reflexos táteis são, de longe, muito mais rápidos que os reflexos gerados por uma informação visual. O Chi-Sao permite que o lutador se defenda mesmo sem enxergar.

LOP SAO (Lap Sao/Trapping Hands) "Mãos que Enganam"
No Lop Sau utiliza-se as mãos e braços como "armadilhas" onde, sempre se leva a imobilização ou neutralização dos ataques desferidos com as mãos pelo adversário. Era uma das técnicas preferidas de Bruce Lee.

PAK SAO
O Pak Sao é uma técnica de bloqueio, é parecido com o desvio usado no boxe, com o Pak Sao as mãos saem diretamente do centro do corpo e atinge a mão do agressor que vem em direção à cabeça, o uso efetivo do Pak Sao tira o ângulo de ataque do agressor além de deixar seu braço livre para a aplicação de uma chave (arm lock).

TÉCNICAS DE LUTA
Desenvolvimento de técnicas de luta com base nos três primeiros conceitos para as diversas situações de combate.
Yip Man e Bruce Lee treinando o Chi Sao
Yip Man
Um site feito para amantes da milenar arte da luta
MUNDO MARCIAL