Shaolin Quan
     O termo Shaolin Quan (Chinês tradicional:  pinyin: Shàolín gongfu) se refere aos estilos e técnicas de kung fu desenvolvidos pelos monges do Templo Shaolin.
     Shaolin é um monastério budista que fica na província de Henan na China.
     Uma destas técnicas é o Punho de Shaolin (ou punho da jovem floresta), caracterizado por sua destreza, velocidade e potência. Para seu aprendizado o aluno deve ter muita disciplina.
     O estilo vem do Templo Shaolin da montanha Song, província de Henan. De acordo com a lenda, foi Boddhidharma (também conhecido como Ta Mo, Dharuma e Daruma Taishi), um monge indiano que introduziu os exercícios físicos para os monges no século VI. 
Shaolin do Norte
      O Kung-Fu de Shaolin era ensinado aos monges do templo em seu apogeu Shaolin contava com um exército de 5.000 monges, que treinavam com mãos livres, combates com armas, montaria e exercícios respiratórios. Durante mais de um milênio, só os monges é que podiam aprender artes marciais no mosteiro de Shaolin. No final da dinastia Ming, o imperador permitiu que o Abade superior Chiu Jin ensinasse o Kung-Fu de Shaolin também a pessoas do povo. Essa abertura revolucionou a história do ensino do Kung-Fu tradicional e trouxe grandes mestres.

O estilo Shaolin lapida caráter moral, promove ótima circulação, fortalece o corpo, cria coordenação nos membros, aumenta a agilidade da mente e do corpo, e treina as habilidades e técnicas a um nível tão elevado que, vitórias podem ser conquistadas em todos os tipos de conflito que na quase totalidade, sem confronto físico.
Como é a prática?
O progresso é como o relâmpago. Retroceder é como o vento a cabeça se move como as ondas. Os pés são sólidos como as pedras. O corpo flui como um dragão voador. As mãos se movem como estrelas cadentes. Todos os movimentos provém da mente humana e das características do ser humano. 
     Os ataques são duros e fortes mas não excessivos, eles podem ser flexíveis como o junco sob a ação do vento mudando entre um tipo e outro de ataque. Os ataques contém dissimulações e golpes surpresa que se combinam para reagir contra as defesas do seu inimigo no estilo Shaolin a defesa é gentil, macia porém não fraca. Os ataques são como os do Tigre violentos e apropriados. Se alguém desejar derrotar seu inimigo num combate, ele deve sobrepujar suas próprias fraquezas durante a prática.

    









     Dentre os diversos sistemas que foram ensinados no Templo de Shaolin, está as 10 mãos de Shaolin. Tal sistema foi transmitido pelo Abade Zhao Yuan a Gan Fen Chi, do qual tornou-se muito famoso na China, um herói de sua época. Gan Fen Chi teve Wang Bang Cai como aluno, que por sua vez, ensinou a Yan De Gong. A partir deste momento, tais técnicas foram passadas de geração a geração dentro da família Yan. Yan De Gong passou todo o seu conhecimento em Shaolin a seu filho Yan San Shou que seguiu o exemplo de seu pai e também transmitiu sua arte a seu filho Yan Ji Wen. Ji Wen era famoso por seu serviço de escolta de caravanas e numa ocasião, após enfrentar problemas com bandidos, foi ajudado por Gu Li Zhi (grande mestre de Tan Tui), e deste episódio nasceu uma grande amizade. Como retribuição do favor prestado por Gu Li Zhi, Yan aceitou Ku Yu Cheung (Gu Ru Zhang), o filho de seu amigo, como aluno e herdeiro de toda herança Shaolin que havia estado em sua família por gerações.
Ku Yu Cheung tornou-se um grande mestre de sua época e muito famoso por suas demonstrações e técnicas, tendo assim a oportunidade de aprender vários estilos com mestres renomados.
     Após alguns anos lecionando, abriu sua própria escola de artes marciais e lá desenvolveu um programa de treinamento para o que havia aprendido em todos estes anos de artes marciais, ficando conhecido como a “escola” de Shaolin do Norte.
Yim Sheung Mo, um de seus alunos e herdeiro do estilo teve como sucessor Chan Kowk Wai, introdutor da arte na América do Sul e Grão-Mestre do Prof. Valdir Cremasco da Academia Shaolin de Valinhos.
     O Shaolin do Norte mantém como base as 10 mãos de Shaolin e conta com formas e técnicas adicionais como Luo Han, Liu He, Zha Quan, Tan Tui e outras. O aluno tem também a disposição o aprendizado de inúmeras armas, podendo chegar a mais de 20 tipos. As principais e mais conhecidas são: bastão, facão, espada e lança. Como parte do treinamento há exercícios de Qi Gong chamado de Sino de Ouro e a Palma de Ferro. E é tal repertório marcial que é ensinado hoje aos alunos de Shaolin do Norte.
     As 10 mãos de Shaolin preserva a arte marcial do Tempo Shaolin, unindo eficácia e beleza nos movimentos. Estão divididas em 10 formas de mãos, cinco curtas e cinco longas. No estilo encontram-se técnicas de mãos, aprisionamentos e ênfase nas técnicas de pernas, tendo o mais variado arsenal de chutes, chutes com giros e saltos, rasteiras, quedas e chutes múltiplos. É ensinado combate simulado para desenvolver a coordenação, reflexo e noções de distancia em uma luta, podendo ser tanto de mãos como de armas.
     Mas o mais provável é que o verdadeiro Shaolin Quan, como estilo, tenha sido criado por Bai Yufeng no século XV. Também conhecido por estilo Shaolin está dividido em Shaolin do Norte e Shaolin do Sul.
     A própria tradição shaolin divide as escolas em duas: A do norte e a do sul . Todos os chineses conhecem as expressões PERNA DO NORTE, PUNHO DO SUL, distinção fundamental entre as duas grandes correntes. Essa diversidade pode Ter advindo de duas ramificações Shaolin diferentes, mas muitos chineses a atribuem à divisão geográfica do imenso território amarelo. O norte da China é a parte do País das grandes planícies onduladas onde as pessoas estão habituadas a percorrer a pé ou a cavalo longas distâncias. Essa necessidade foi em parte responsável pelo desenvolvimento das pernas dos homens que passaram a usar esses membros como arma de ataque ou defesa. Já o sul da China é recortado por imensa rede de recursos de água ao longo dos quais vive a população. A prática do remo e da pesca acabou por desenvolver os músculos dos braços e dos punhos, o que levou muitos homens a fazer dessa parte do corpo suas armas principais. Essa teoria é bastante simplificadora, mas tem o mérito de evidenciar o que distingue as duas tradições do boxe chinês.
Estilo Garra de Águia
     A prática conduz à destreza. A destreza conduz à perfeição, e a perfeição conduz ao sobrenatural quando se luta com o inimigo a mente é o imperador, o tronco é general os membros são os soldados, os olhos e os ouvidos são os estandartes. Em combate, a paciência conduz à vitória. Estude o estilo Shaolin em grande profundidade, então absorva as qualidades especiais para outros estilos. Procure seus ideais mais nobres. Estude aprimorando a sabedoria e treine o corpo. Nunca tema o mal. Sempre lute pela justiça.
      Wing Chun, Baak Mei, Hung Gar e outros sistemas de Kung Fu, todos fazem referência ao incêndio do Templo Shaolin em suas tradições. A maioria dessas lendas não faz distinção entre os Templos Shaolin do Norte e Sul. Consequentemente, alguns estudiosos de hoje sugerem que não existiu um Templo Shaolin do Sul, deixando os praticantes em estado de confusão entre as lendas e as correntes descobertas históricas.

     Esse artigo é para elucidar a evidência da existência do Templo Shaolin do Sul bem como sua destruição e sua presente reconstrução na Província Sulista de Fujian, China.
Shaolin do Sul
     O Templo Shaolin do Sul foi o resultado da resposta dos monges guerreiros do Templo Shaolin do Norte à solicitação de assistência marcial da jovem Dinastia Tang. As incursões piratas na Província de Fujian comprometiam a estabilidade e a prosperidade no Sul da China e a nova dinastia precisou agir. À solicitação do Imperador, três dos lendários treze monges guerreiros bastoneiros de Shaolin, Dao Guang, Seng Man e Seng Feng, conduziram aproximadamente 500 monges guerreiros ao Sul no início do século VII D.C. para engajar-se na batalha conta os piratas. Eles auxiliaram os soldados Tang a recuperar a situação e a guerra costeira foi vencida.
     De acordo com as pesquisas realizadas na última década pelas três organizações históricas independentes do Governo Chinês - a Associação dos Arqueólogos da Província de Fujian, o Museu de Fujian e Associação Investigadora do Templo Shaolin do Sul de Putian - muitos monges guerreiros tombaram nas batalhas seguintes. Para comemorar a queda de seus camaradas, alguns dos monges Shaolin permaneceram para trás nas Províncias do Sul. Eles foram bem vindos e seguidos pelos monges locais que buscavam se tornar discípulos Shaolin. Dão Guang inicialmente retornou ao Templo Shaolin de Song San e visitou Tan Zong, o Grão-Mestre. Tan Zong escreveu um poema para ele e o incumbiu de selecionar um local parecido com a montanha Song San “Jiu Lian” e então construir um Templo Shaolin do Sul em comemoração aos seus irmãos que tombaram na batalha. O Grão-Mestre o incumbiu a relembrar seus ancestrais e disseminar a Filosofia Chan Budista nativa no Templo de Song San - também chamada “Zen” na cultura japonesa atual. O significado literal do poema é: “Dias e meses enfrentando bandidos errantes, desejando um Templo que ficar ao pé da Montanha Jiu Lian; Shaolin do Norte e do Sul originados do mesmo templo com o Chan Budismo encravado em seu coração para sempre”.
     Dao Guang retornou para Fujian e selecionou a Montanha Lin San - que em topografia se parecia com a montanha “Jiu Lian” - como o local do Templo Shaolin do Sul.
     As evidências acumuladas pelas três organizações arqueológicas e históricas citadas acima estabelecem que o Imperador Tang, Lee Shimin (600 – 649 D.C.), aprovou o local proposto e a construção de um Templo Shaolin do Sul.
     Ele era particularmente apreciado, como os monges guerreiros tinham antes salvo sua vida em um conflito com um General patife que desafiou sua ascendência ao Trono.
     Lee Shimin reinou de 626 – 649 D.C. Ele levou o Taoísmo e o Budismo junto com o Confucionismo ao governo do país. A Tradição Chan do Shaolin do Sul foi também criada nesse tempo, junto com a prática das artes marciais do Templo.
Dao Guang
     Séculos depois, eventos durante a transição das Dinastias Ming e Qing produziram um clima político que provocou uma crescente necessidade pelo desenvolvimento de artes marciais no Sul. Durante esse período, leais aos Ming e os guerreiros do Shaolin do Sul fundaram uma sociedade secreta chamada Hung Fa Wui. Os membros dessa sociedade incluíam ex-Oficiais Militares Miing de alta patente e membros da Família Real Ming. O local de encontro da Hung Fa Wui, chamado Hung Fa Ting, foi a única construção original que encontrada intacta quando o Templo foi escavado. O Governo Chinês data a criação da Hung Fa Ting e da Hung Fa Wui em 1646 D.C. - dois anos depois do colapso da Dinastia Ming no Norte da China. Os expertos marcials da Hung Fa Wui empregaram seus conhecimentos um sistema de combate que seria rápido para se aprender e efetivo contra todos os demais estilos pelo mapeamento das características espaço-temporal e energéticas do campo de batalha para estrutura da fisiologia humana. O paradigma altamente científico desse sistema de luta correu o Templo Shaolin do Sul através dos esforços combinados dos monges guerreiros e da sociedade secreta Hung Fa Wui - especificamente em um lugar chamado “Weng Chun Tong”.      

     A efetividade de luta e as atividades revolucionárias dos sistemas Shaolin do Sul assustaram o Imperador Qing naquele tempo. Em essência, os Qing ordenaram à destruição do Templo Shaolin do Sul através do uso de uma esmagadora desvantagem. Membros sobreviventes espalharam através das províncias do Sul. Suportados por outras sociedades secretas, esses revolucionários continuaram a disseminar suas atividades e estilos de luta. Muitos dos sistemas de Shaolin Kung Fu do Sul traçam suas raízes ao Wing Chun Tong, como o Chi Sim Weng Chun Kuen e o Hung Fa Yi Wing Chun Kuen.

Um site feito para amantes da milenar arte da luta
MUNDO MARCIAL